post

Alberto Valentim já vestiu a camisa do Flamengo

Flamengo

Paulo Roberto Falcão, um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos, definiu quase que perfeitamente a relação de um jogador com a sua profissão: “O jogador de futebol morre duas vezes. A primeira, quando para de jogar”. Sendo assim, quase todos que se aposentam acabam continuando no meio do futebol, seja como empresário, comentarista ou, mais de maneira mais comum, como treinadores. 

O Flamengo mesmo é um grande exemplo disso, com o técnico Paulo César Carpegiani que assim que se aposentou como jogador profissional em 1981 já assumiu o posto de treinador da equipe, conquistando o título da Copa Libertadores da América e do Mundial Interclubes no Japão.  

Outro treinador de um clube carioca que passou pelo Flamengo e pouca gente se lembra, em uma relação que se assemelha muito com um casamento: começou com juras de amor e terminou com farpas é Alberto Valentim, que quando atuava como lateral direito teve uma passagem rápida pela Gávea. 

Conhecido apenas como Alberto enquanto ainda atuava como lateral direito, Valentim iniciou a sua carreira em 1995 no Guarani e passou ainda pela Inter de Limeira antes de chegar ao Atlético-PR em 1996. 

Lá ele foi eleito o melhor lateral direito do Campeonato Brasileiro de 1996, sendo quase sempre o garçom que servia a dupla de ataque formada por Paulo Rink e Oséas. 

Com o bom desempenho o jogador passou a ser emprestado no primeiro semestre para a disputa dos Campeonatos Estaduais e voltava para o Furacão no segundo semestre para a disputa do Brasileirão. 

Foi assim que em 1998 desembarcou no Flamengo com 22 anos em uma troca que levou Nélio e Rodrigo Mendes emprestados para o Paraná. E no Rubro-negro carioca o jogador chegou com juras de amor, assumindo que era flamenguista na infância e até mesmo beijando o escudo. 

Porém a passagem foi curta: foram 11 jogos com sete vitórias, dois empates e duas derrotas, sendo titular em 10 destas 11 partidas. No final do semestre retornou ao Atlético-PR, mas não sem antes deixar claro em entrevistas que não ficou mais tempo por ser vítima da desorganização do clube e do futebol carioca. 

A carreira de Alberto Valentim como treinador é recente, tendo sido iniciada no ano passado com o treinador assumindo o comando do Red Bull Brasil após anos trabalhando apenas como auxiliar técnico no Palmeiras, no Atlético Paranaense e de fazer estágios na Udinese, Juventus e Real Madrid. 

Valentim trabalhou durante todo o Campeonato Paulista na equipe da gigante austríaca de energéticos e ao final do Campeonato Estadual voltou para o Palmeiras, onde novamente trabalhou como auxiliar técnico de Cuca.  

Com a queda de Cuca do comando do Palmeiras já no segundo turno do Brasileirão Alberto Valentim assumiu o clube até o final do ano e não fez feio, conquistando uma série importante de vitórias que fizeram o Palmeiras terminar como vice-campeão do Brasileirão. 

Foi neste período em que a carreira de treinador de Alberto Valentim cruzou com o Flamengo pela primeira vez, com o clube paulista vencendo o duelo pela 34ª rodada do Brasileirão 2017: 2×0 no Allianz Parque com dois gols de Deyverson. 

Com a chegada de Roger Machado ao Palmeiras Alberto decidiu novamente se demitir em busca de um novo trabalho como treinador, que ironicamente chegou por conta de Cuca: com a queda do Botafogo na Copa do Brasil o time demitiu o seu treinador com menos de dois meses de trabalho, contratando Valentim para o cargo por indicação de Cuca que foi a primeira escolha do clube. 

Logo em seu primeiro clássico com o Botafogo Alberto enfrentou o Flamengo e desta vez não teve sorte: derrota por 1×0 com gol de Rhodolfo. 

post

Flamengo e a volta do Voleibol profissional

Clube de Regatas Flamengo

Em 1927 o Flamengo conquistou o título de “Mais Querido” do Brasil em concurso promovido pela engarrafadora de água mineral Salutaris, em uma das mais icônicas histórias do futebol no Brasil.

Porém, não é apenas no futebol, esporte que é a verdadeira paixão nacional do brasileiro, onde o Rubro Negro brilha com toda força. No basquete, por exemplo, o Flamengo é a maior equipe na disputa do NBB e certeza de casa cheia em ginásios de todo Brasil sempre que entra em quadra.

E agora além de fazer sucesso em diversas modalidades olímpicas o clube também quer voltar a investir no vôlei, um dos esportes onde já fez muito sucesso em um passado não muito distante.

O Flamengo foi um dos fundadores da Liga Metropolitana do esporte em 1938, que na época ainda era chamado por aqui de “volibol”. Esta foi a primeira competição oficial do esporte no Rio de Janeiro.

Com muito sucesso tanto no masculino quanto no feminino em todas as décadas seguintes, o vôlei do Flamengo chegou ao auge na temporada 2000-2001 da Superliga Feminina, quanto o rubro negro formou uma verdadeira seleção brasileira com nomes do calibre de Leila e Virna, além de outros grandes destaques como Arlene, Vasleskinha, Tara Cross e Josiani.

O time foi comandado por Luizomar de Moura, e na grande final do torneio tiveram como adversárias as meninas do Vasco, uma grande potência do esporte naquela época quanto eram treinadas por Isabel Salgado.

O Flamengo não tomou conhecimento das adversárias e mandou o time para o vice-campeonato que lhe é característico fechando a série final em 3×1, vencendo o último jogo em um emocionante tie-break que terminou em 17-15.

O time entrou em uma política de austeridade financeira nos últimos anos, que acabou diminuindo o investimento em diversas outras modalidades esportivas. Mas a grande notícia para quem gosta de voleibol é o fato de que o clube já anunciou que na próxima temporada irá inscrever uma equipe na Superliga B, a segunda divisão da Superliga feminina de voleibol.

A expectativa para esta notícia é imensa, e a esperança é de que o clube não faça como fez no ano passado quando montou uma equipe adulta para a disputa da Superliga B masculina mas com três derrotas e duas vitórias acabou sendo eliminada na primeira fase.

E mais do que isso: o clube parece ter desistido desta iniciativa já que neste ano de 2018 não reinscreveu o seu time para a segunda divisão do vôlei masculino brasileiro.

Os planos para a montagem desta equipe feminina é aproveitar a base que vem ganhando diversos torneios juvenis na categoria Sub-20. A ideia é mesclar estas jovens estrelas que vem sendo formadas em casa e fazer a contratação de atletas chave para posições que sejam carentes no elenco.

Este é um retorno mais do que aguardado já que desde a temporada 2005-2006 o Flamengo não apresenta uma equipe feminina para a disputa da Superliga. Naquela ocasião, o time acabou sendo eliminado nas quartas de final, perdendo para a equipe do Rio de Janeiro, que ficaria com o título naquela temporada.

A estreia deverá ocorrer apenas em 2019, já que para este ano as inscrições já estavam encerradas.

post

Saiba tudo sobre Paulo César Carpegiani no Flamengo

O Flamengo

neste ano de 2018 vem atuando sob nova direção após a passagem para ser esquecida de Reinaldo Rueda como treinador do clube no segundo semestre do ano passado. E o novo treinador chega com status de velho ídolo da torcida e um grande nome da história do clube, comandante nos momentos de mais sucesso do time em seus mais de 100 anos de vida.

Seja atuando como jogador ou como treinador, não há como negar que Paulo César Carpegiani tem o seu nome escrito na história do Flamengo e contribuiu com muito mais do que títulos com o clube.

Paulo César Carpegiani nasceu em Erechim no Rio Grande do Sul no dia 7 de fevereiro de 1949, iniciando a sua carreira como jogador profissional de futebol no Internacional de Porto Alegre desde as categorias de base, chegando ao clube em 1964 e fazendo a sua estreia no time principal em 1969.

Ao contrário dos ciganos da bola que vemos hoje, que a cada 6 meses estão em um clube novo, Carpegiani defendeu apenas dois clubes em toda a sua carreira, saindo do Colorado em 1977 e assinando contrato com o Flamengo, onde fez parte do elenco Campeão Brasileiro de 1980 mas teve que encerrar a carreira no ano seguinte por conta de problemas físicos.

Logo após se aposentar como jogador, Carpegiani já assumiu o cargo de treinador do Flamengo, tendo sucesso logo de cara nesta nova função: conquistou em seu primeiro ano o título da Copa Libertadores da América e do Mundial Interclubes derrotando o Liverpool no Japão.

Ainda ganhou o Campeonato Brasileiro de 1982 como treinador da equipe, até deixar o clube rumo ao mundo árabe em 1983. Fez alguns bons trabalhos nos anos seguintes, como na Seleção do Paraguai que fez grande campanha na Copa do Mundo de 1998, e ainda voltou ao Flamengo no ano 2000 onde apesar de não conquistar grandes títulos teve como grande destaque promover o Imperador Adriano para fazer a sua estreia como jogador profissional com a camisa rubro negra.

Afastado durante algum tempo da função de treinador, Paulo César Carpegiani começou a investir na base e no garimpo de novos talentos, criando um clube para isso na cidade de Alvorada no interior gaúcho: O RS Futebol Clube.

Durante este período revelou para o futebol alguns nomes importantes como os zagueiros Thiago Silva e Naldo, hoje no Paris Saint Germain e Schalke 04, respectivamente. Revelou também Ederson, que após passagens de sucesso por França e Itália está no Flamengo e também Rodrigo Caetano, que hoje é um dos homens fortes do futebol do Mengão mas teve o seu primeiro trabalho no futebol no clube de Carpegiani.

Carpegiani teve o seu último trabalho no futebol na temporada passada, treinando o Bahia nas rodadas finais do Campeonato Brasileiro. O comandante foi contratado para fazer parte da diretoria de futebol do Flamengo, mas com a saída de Reinaldo Rueda acabou no susto assumindo a função de treinador do time para a disputa do Campeonato Carioca, Libertadores, Copa do Brasil e Brasileirão em 2018.

post

Saiba mais sobre a vinda de Henrique Dourado para o Flamengo

O Flamengo

está próximo de anunciar oficialmente a venda do jovem Felipe Vizeu, um de seus jogadores mais importantes revelados pelo clube nos últimos anos, para a Udinese da Itália por valores que giram em torno R$ 12 milhões.

Este fato deixou claro que o clube investiria na contratação de um atacante para a temporada de 2018, ainda sem saber quando e se irá poder contar com o peruano Paolo Guerrero nesta temporada, ainda suspenso até maio por conta de ter sido flagrado no exame antidoping e depois ainda terá a Copa do Mundo para disputar com a sua seleção.

E o clube foi mais rápido do que todos imaginavam neste anúncio e veio à público na quinta-feira dia 1 de fevereiro anunciar a contratação de Henrique Dourado, que no ano passado foi artilheiro do Campeonato Brasileiro juntamente com Jô do Corinthians.

José Henrique da Silva Dourado nasceu em Guarulhos no Estado de São Paulo no dia 15 de setembro de 1989 e começou a sua carreira justamente no Flamengo de sua terra natal. Passou ainda por Lemense, União São João de Araras, Santo André, Cianorte, Chapecoense, Mogi Mirim e Mirassol antes de ter a sua primeira grande chance, jogando no Santos.

Após esta passagem na equipe Santista ainda jogou por Portuguesa, Palmeiras e Cruzeiro antes de ir para Portugal conquistar a torcida do Vitória de Guimarães.

Voltou para o Brasil em 2016 e assinou contrato com o Fluminense, onde estava ainda de assinar contrato com o Flamengo neste início de 2018.

A contratação do artilheiro, que vem se notabilizando cada vez mais pela maestria em cobrar pênaltis, deve custar aos cofres do Flamengo algo em torno de R$ 11 milhões, o que vem gerando muitas críticas por conta de gastar praticamente todo o faturamento da venda de um jovem jogador em um atacante com 28 anos de idade.

Mais do que acertar os problemas do ataque do Flamengo neste ano a chegada de Henrique Ceifador tenta acabar com uma sina recente do clube de contratar artilheiros do Brasileirão e eles não se darem bem com a camisa rubro-negra.

Nos últimos anos podemos citar nesta situação nomes como Dimba, contratado em 2004 após marcar 31 gols no Campeonato Brasileiro de 2003 e marcou apenas 13 gols com a camisa do Flamengo em 37 partidas.

Outro nome contratado com status de artilheiro que fracassou com a camisa do Flamengo foi Souza do Goiás, que apesar de muito carisma entregou pouco em matéria de gols com o manto rubro-negro em 2007.

Fechando a lista de artilheiros frustrados aparece Josiel, que marcou 20 gols com o Paraná em 2007 mas não repetiu o mesmo brilho no Flamengo, sendo lembrado apenas por ter feito dois gols importantes contra o Santo André na campanha do título do Brasileirão de 2009.

Henrique Dourado já está integrado ao elenco do Flamengo e ainda não tem data certa para a sua estreia, já que não foi utilizado nos últimos jogos do Fluminense nas últimas partidas após pedir ao clube para ser negociado.

post

Como fica a redução da pena de Guerrero para voltar a atuar pelo Flamengo.

Flamengo

Dia 5 de outubro de 2017. O Peru consegue segurar um empate contra a Argentina em plena La Bombonera e continua com chances claras de ir para a Copa do Mundo pela primeira vez em 26 anos, desde o Mundial da Espanha em 1982. Dia 10 de outubro de 2017: com um gol de Guerrero o Peru consegue um empate heroico contra a Colômbia e continua vivo na disputa, deixando o Chile para trás e conseguindo a vaga na repescagem contra a Nova Zelândia.

Dia 3 de novembro de 2017. A bomba: Paolo Guerrero foi pego no exame antidoping por conter em seu sangue um metabólito da Cocaína, a benzoilecgonina, e não poderia sequer participar das partidas do Peru na repescagem para a Copa do Mundo da Rússia. Menos de um mês, o período que levou para a vida de um dos maiores jogadores da história do futebol peruano dar um giro de 180 graus.

Além deste problema afetar à Seleção Peruana afetou também ao Flamengo, que na reta final de sua temporada não pode contar com o seu artilheiro para a disputa das finais da Copa Sul-americana e também para as últimas rodadas do Campeonato Brasileiro.

Guerrero alegou em sua defesa que algum chá ou medicamento que tomou para curar uma gripe poderia estar infectado com a substância, já que até mesmo a FIFA por conta das quantidades encontradas no corpo do atleta descartou o uso, mesmo recreativo, de Cocaína.

Mesmo assim, a sentença trouxe a notícia que o povo peruano e a nação rubro-negra temiam: um ano de suspensão para Guerrero, que estaria fora da Copa do Mundo e de toda a temporada de 2018 do Flamengo, estando apto para jogar apenas em novembro.

Após algumas apelações da defesa, em 20 de dezembro veio a notícia que aliviou pelo menos a um lado desta história: o povo peruano.

Nesta data a FIFA aceitou parcialmente o recurso interposto por Guerrero, analisando as circunstâncias do caso e diminuindo a pena de 1 ano de suspensão para apenas 6 meses. Com isso, a suspensão provisória que se iniciou em 3 de novembro teria fim em maio de 2018, com tempo suficiente para o jogador estar apto para disputar a Copa do Mundo.

Após esta vitória parcial Guerrero entrou com uma apelação na Corte Arbitral do Esporte na Suíça tentando cancelar de vez a pena, já que alega ter provado que não teve culpa nenhuma nesta acusação.

Enquanto ainda espera por uma decisão da justiça, tendo a expectativa de que a audiência seja realizada ainda neste mês de janeiro, Guerrero teve o seu contrato suspenso pelo Flamengo.

Tecnicamente isso significa que Guerrero está sem receber salários do clube, que continua pagando normalmente o seu valor de luvas, e que ele deverá pagar este período de interrupção após o final deste vínculo atual, que vai até agosto de 2018.

Mesmo tendo esta possibilidade jurídica, o Flamengo já iniciou as conversas com Guerrero, que atualmente está com 34 anos, para tentar estender o seu contrato até pelo menos o final do ano de 2018.

Antes de ser suspenso Guerrero vinha na melhor temporada de sua carreira, somando 20 gols nas partidas que fez com a Seleção Peruana e com o Flamengo.

post

Tudo sobre o garoto Brayan que já esteve no time principal com apenas 16 anos.

O Flamengo

está sempre atento ao mercado, para a captação de bons jogadores disponíveis e realizar negócios de oportunidade para reforçar o seu elenco. Entre nomes como Everton Ribeiro e Diego Alves, que chegaram e vestiram a camisa para ajudar o time em momentos complicados, temos também nomes como Geuvânio e Dario Conca, que pareciam promissores e acabaram até aqui não dando certo na equipe.

O time também tem ido ao mercado para encontrar talentos para a sua base, que vem tendo bons resultados nas últimas temporadas, e no ano passado serviu ao time profissional em momentos chave, principalmente com César, que foi campeão da Copa São Paulo com o clube em 2011 e Felipe Vizeu e Lucas Paquetá, campeões da Copinha no último título do Mengão, em 2016.

Este é apenas um traço da atual administração do Flamengo, que mais do que gastar fortunas no mercado quer fazer valer a máxima de que craque o Flamengo faz em casa, cunhada pelo jornalista Geraldo Mainenti na revista Manchete Esportiva em 1979 e verdadeiro mantra do clube durante décadas.

E para tentar reforçar ainda mais as categorias de base do time o Flamengo também foi ao mercado no ano passado, para terminar de lapidar um bom jogador e tentar fazer dele um craque para o futuro da equipe.

Um bom exemplo do garimpo destes futuros craques foi a contratação do meia Brayan do Paulista de Jundiaí, uma das maiores revelações da Copa São Paulo de Futebol Júnior em 2017.

A Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2017, apesar de ter o Corinthians como campeão, teve outro clube do estado de São Paulo como destaque: o Paulista de Jundiaí, que não esteve na grande decisão apenas por conta do problema envolvendo o zagueiro Brendon Matheus Lima dos Santos, que na verdade era Heltton Matheus Cardoso Rodrigues, primo do verdadeiro Brendon que está preso no Rio de Janeiro.

Mesmo com o Paulista sendo eliminado nos tribunais o clube teve boas revelações, como o do jovem Brayan Vasconcelos, nascido em Cachoeiro do Itapemirim no Espírito Santo e velho conhecido da torcida do clube de Jundiaí.

Afinal, mesmo jogando na Copinha de 2017 o jogador é um veterano no clube, tendo sido chamado para compor a equipe profissional do clube ainda em 2014 quando tinha apenas 16 anos.

Em 2015 o jogador fez diversas partidas pela Série A2 do Campeonato Paulista e pela Copa Paulista, mas uma lesão no joelho em 2016 deixou o garoto longe dos gramados por incríveis 7 meses, uma eternidade para um garoto desta idade.

Ao voltar da contusão o meia já entrou em preparação junto com o time sub-20 para a disputa da Copa São Paulo de Futebol Júnior, onde se destacou como um meia canhoto repleto de muita habilidade, quando marcou dois gols na campanha e contribuiu com diversas assistências.

O jogador após a campanha se transferiu para o Flamengo, que adquiriu 20% dos seus direitos econômicos, com o Paulista mantendo 80% para um contrato de 3 anos.

No Flamengo o jogador ainda não conseguiu grande destaque, mas promete ser um dos destaques deste ano de 2018.

post

Como anda a negociação para o Flamengo ter o lateral esquerdo Zeca

Flamengo – Mercado da Bola

O Santos tinha durante um bom período do segundo semestre do ano passado a esperança de ver o Corinthians caindo e finalmente ultrapassar o líder na luta pelo título do Campeonato Brasileiro.

Porém, o que se viu foi algo muito distante disso, passando por crises internas que causaram a demissão do técnico Levir Culpi mas também por conta do problema enfrentado pelo lateral esquerdo Zeca, que pediu a rescisão de seu contrato alegando problemas com seu pagamento no Santos.

Zeca abandonou o clube em outubro alegando problemas no recolhimento do seu FGTS e também no pagamento de seus direitos de imagem. Com isso, se iniciou uma verdadeira corrida no mercado para garantir a contratação de um dos mais promissores laterais do futebol brasileiro na atualidade.

A reclamação de Zeca deu algum resultado para ele, já que recentemente a justiça do trabalho deu um habeas corpus ao jogador que alegou que de acordo com a constituição pode escolher onde deseja aplicar a sua força de trabalho.

Porém, vale lembrar que esta é uma decisão liminar e que a audiência final entre clube e jogador será realizada apenas em abril de 2018, fato que faria Zeca perder quase a primeira metade inteira da temporada.

Sem clima para voltar à Vila Belmiro mesmo que o Santos vença a causa e com Zeca já acertado com o Flamengo para a próxima temporada, as duas equipes já buscam alinhar um acordo para que o Santos não acione a justiça e cobre os R$ 50 milhões da multa do jogador.

Para liberar Zeca o Santos, que vive um período de grave crise financeira, pede ao Flamengo o empréstimo de um ou dois jogadores durante a próxima temporada além de uma compensação financeira.

Embora o acordo e a pedida do Santos ainda estejam em sigilo, boatos dizem que o clube pediu Rômulo e Felipe Vizeu emprestados, além de uma compensação em dinheiro para ajudar nos cofres do clube.

José Carlos Cracco Neto, o Zeca, nasceu em Paranavaí no dia 6 de maio de 1994, tendo a sua primeira passagem na base do Santos ainda com 12 anos de idade, quando foi aprovado para participar das categorias de base do clube.

Passou a treinar com a equipe mas por conta de seus avós morarem no Paraná acabou se mudando para a casa de um colega seu de base no Santos, onde começou um verdadeiro pesadelo já que chegava até mesmo a apanhar dos pais deste “amigo”. Quando seus avós descobriram acabaram levando o menino de volta para casa, tirando-o do Santos.

Passou então pelas categorias de base do Atlético-PR e do América de Rio Preto até ficar voltar para o Santos, enquanto estava trabalhando como gandula em uma partida do time.

Quando passou para a equipe profissional acabou quase sendo negociado com os Estados Unidos, mas acabou ficando por um pedido pessoal do técnico Dorival Júnior e logo se tornou titular incontestável da lateral esquerda santista, além de ser utilizado por Rogério Micale como lateral direito na Seleção Brasileira que conquistou o ouro olímpico inédito no futebol nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016.

post

Será que ainda veremos Carlitos Tévez no ataque do Flamengo?

Flamengo

A suspensão de Paolo Guerrero no final da temporada de 2017 do futebol internacional caiu como uma bomba não somente no Peru, a sua seleção e onde ele acabou sendo “infectado” com a substância proibida mas também no Flamengo, clube que na reta final da temporada foi obrigado a ficar sem o seu principal jogador.

E não é errado afirmar que o Flamengo sofreu muito mais do que a Seleção de Guerrero, já que não entrou em campo de maneira oficial desde que a suspensão foi anunciada, enquanto o Flamengo teve alguns dos jogos mais importantes da temporada como por exemplo a reta final da Copa Sul-americana onde teve que contar com garotos como Paquetá ou Vizeu, que ainda não criaram “casca” para jogos deste tamanho.

Com isso, o clube teve que ir atrás de reforços para o seu elenco ao final da temporada, já que mesmo que a pena do peruano tenha sido reduzida e ele já tenha esperanças de disputar a Copa do Mundo, se a punição continuar mesmo com os atuais 6 meses o jogador só voltaria às vésperas da Copa do Mundo, quando deverá novamente ser desfalque.

Um dos nomes que foi especulado recentemente como reforço do Flamengo para o ataque em 2017 foi o argentino Carlito Tévez, que há exato um ano anunciava que estava deixando o Boca Juniors da Argentina, o seu time do coração, para se tornar o jogador mais bem pago do futebol mundial.

Os números da transferência de Tévez para a China assustam. O jogador foi contratado pelo Shanghai Shenhua para receber nada menos do que R$ 139 milhões em salários no ano, algo em torno de R$ 2,5 milhões por semana.

Mas desde a sua chegada ao oriente Tévez se mostrou sempre mais um custo do que um investimento, entrando em campo só 16 vezes e nem de longe mostrando que valia um investimento desta natureza.

Com os chineses sonhando com a sua saída, a própria imprensa argentina noticiou nos últimos meses que o Flamengo era um dos interessados em contratar o jogador, e que teria a concorrência de um clube turco nesta missão.

Só que tudo indica que, se o Flamengo resolveu mesmo entrar nesta disputa, acabou saindo muito antes de poder ver um final positivo já que notícias atuais da própria imprensa argentina dão conta de que Tévez tem 3 caminhos para seguir neste momento: continuar na China, voltar ao Boca Juniors ou se aposentar precocemente aos 33 anos.

Para o Flamengo resta estudar outros nomes, com a janela ainda longe de fechar e com calma para fazer um gasto consciente e que não atrapalhe as finanças do clube sem trazer o retorno desejado, como seria o caso de Fred que quase veio mas acabou indo parar no Cruzeiro.

Nomes como Diego Tardelli, Vagner Love e Vitinho estão na lista para o ataque do time, que recentemente também sondou o uruguaio Jonathan Alvez do Baarcelona de Guayaquil, que marcou gol em todos os brasileiros que enfrentou na Copa Libertadores da América em 2017.

post

Saiba como vem o Flamengo para Copa São Paulo Jr 2018.

O Flamengo

tradicionalmente faz grandes campanhas na sua história na Copa São Paulo de Futebol Júnior, competição Sub-20 que abre o calendário do futebol nacional no mês de janeiro. Tanto é que o clube já tem três títulos na competição, quase sempre revelando bons nomes para a sua equipe principal.

O primeiro título do Flamengo na Copa São Paulo de Futebol Júnior aconteceu em 1990, em uma equipe que fazia encher os olhos de qualquer torcedor, considerado até hoje um dos maiores times da história da Copa São Paulo.

Nomes como Júnior Baiano e Nélio brilharam muito com a camisa rubro-negra nos anos seguintes, sendo personagens chave de outras grandes conquistas no profissional como a Copa do Brasil de 1990, o Campeonato Carioca de 1991 e o Campeonato Brasileiro de 1992.

Outros nomes históricos do futebol nacional estavam naquele elenco, como Paulo Nunes, Marcelinho Carioca e Djalminha, que infelizmente acabaram saindo cedo demais do clube e fazendo história com outras camisas do futebol brasileiro.

Em 2011 o Flamengo novamente conquistou o título da Copa São Paulo de Futebol Júnior e tinha uma geração repleta de bons nomes para brilhar no time de cima, mas infelizmente não foi isso que aconteceu.

Nomes como Thomás, Negueba e Adryan eram esperanças de um futuro melhor para a equipe, mas daquele time de 6 anos atrás apenas um jogador ainda faz parte do elenco rubro-negro: o goleiro César, que estava emprestado e voltou ao Rubro-Negro para ser um dos principais nomes desta reta final de Copa sul-americana após a lesão de Diego Alves.

Esta campanha da Copa Sul-americana aliás estava cheia de garotos vindos do último título como por exemplo Felipe Vizeu e Lucas Paquetá, que conquistaram o torneio na temporada passada sendo comandados por Zé Ricardo, que depois acabou também subindo para a equipe principal após os problemas de saúde sofridos por Muricy Ramalho.

Para a Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2018 o Flamengo utilizou a Copa Rio Grande do Sul de Futebol Sub-20 como um torneio de preparação e acabou não se dando nada bem. O time foi até o sul do país e fazendo parte do Grupo C da competição que tinha Huracán da Argentina, Juventude, Ponte Preta e Cruzeiro voltou para casa eliminado ainda na primeira fase com 4 derrotas, tendo marcado apenas um gol e tomado 7.

Na Copinha de 2018 nada menos do que 128 equipes participarão separadas em 32 grupos com 4 equipes cada, onde apenas o vencedor de cada grupo irá se classificar para a segunda fase, já em mata-mata.

O Flamengo estará no Grupo 21 que terá como sede Barueri e abre a sua participação no torneio no dia 3 de janeiro contra o Ji-Paraná. No dia 6 a equipe enfrenta o Aimoré e no dia 9 de janeiro encerra a sua participação contra o Oeste de Itápolis.

Como já é tradicional, a Copa São Paulo de Futebol Júnior está programada para acabar no dia 25 de janeiro, feriado na capital paulista por conta do aniversário da cidade.

post

Será que o zagueiro Pablo vestirá a camisa do Mengão em 2018?

Mercado da Bola – Flamengo

A figura do empresário no futebol muitas vezes é polêmica. E em muitas vezes eles acabam atrapalhando a vida de seus clientes com declarações polêmicas ou com leilões abertos para conseguir salários cada vez mais astronômicos e querendo também as suas comissões cada vez mais altas para isso.

Com o zagueiro Pablo que disputou a temporada pelo Corinthians não foi diferente, e após chegar do Bordeaux da França desconhecido no futebol nacional, o defensor fechou a temporada como um jogador mais do que valorizado.

Porém, para renovar o seu contrato o seu empresário pediu além de um valor em luvas para si um salário de R$ 500 mil mensais para Pablo, o que colocaria o jogador como o maior salário do elenco acima até mesmo de nomes como Jô e Rodriguinho.

O clube ao saber disso encerrou as negociações e não deixou sequer o zagueiro participar do jogo de festa pelo título contra o Atlético-MG, quando o clube levantaria a taça pela conquista do Campeonato Brasileiro.

O que se seguiu a este fato foram notícias de que Pablo já estava acertado com o Flamengo para a temporada de 2018 como o primeiro reforço do Rubro Negro para a nova temporada. Alguns chegaram até mesmo a dar a negociação como fechada, mas algum motivo fez o clube recuar nesta negociação.

Na época o empresário de Pablo chegou a comentar a situação: “Não existe nada, absolutamente nada com o Flamengo. Quando o Flamengo esteve em São Paulo, fui convidado por eles para falar sobre o Pablo e eu disse que não podia fazer nada porque o Corinthians tinha prioridade. Eu, pessoalmente, levei essa notícia para a diretoria na primeira reunião. O Flamengo apenas perguntou qual era a situação do Pablo”

Com isso quem entrou na jogada foi o Palmeiras, que pode perder o colombiano Mina para o Barcelona já em janeiro caso o clube catalão resolva negociar Mascherano na próxima janela de transferências.

Porém, o clube se assustou com as pedidas do jogador e também esfriou o negócio, sabendo que a sua zaga não é uma prioridade para a próxima temporada já que tem em seu elenco algumas boas peças de reposição para a defesa mesmo com Mina deixando a equipe rumo ao Barça.

Esta é uma história que parece ainda estar longe de um final. Tanto é que recentemente quem entrou novamente forte na briga para contar com o zagueiro em 2018 foi justamente o Corinthians, após as trocas de acusações de ambos os lados ao final do “casamento”.

As condições corintianas para que a negociação seja retomada são justamente as mesmas que deu quando encerrou a negociação da primeira vez, que Pablo reduza a sua pedida de R$ 500 mil mensais de salário e que o seu empresário além de diminuir o valor pedido em luvas também aceite parcelar este valor.

O fato é que nas condições em que estamos hoje um final para esta verdadeira novela é algo longe de ser imaginado. Resta-nos aguardar cenas dos próximos capítulos.