post

Marcado para sempre na história, Telê Santana no Mengão

O futebol brasileiro

teve verdadeiras lendas dentro das quatro linhas, com nomes como Pelé, Garrincha, Zico e Romário figurando fácil na seleção dos melhores jogadores da história do futebol mundial.

E se esta seleção precisasse de um treinador, com certeza um nome a ser considerado seria o de Telê Santana, que era um grande nome do futebol desde a sua época como jogador e até hoje é considerado o maior técnico da Seleção Brasileira de futebol.

Um grande nome como este não poderia não ter passado em um clube da grandeza do Flamengo, onde apesar de pouco tempo conseguiu guardar o seu nome como campeão no comando do time.

Telê Santana da Silva nasceu em Itabirito em Minas Gerais no dia 26 de julho de 1931 e em 1950 desembarcou no Fluminense onde fez história como jogador. Recebeu o apelido de Fio de Esperança, colecionando uma infinidade de títulos nos 9 anos em que defendeu a equipe.

Em 1960 se transferiu para o Guarani de Campinas onde passou 2 anos, depois ainda teve uma breve passagem pelo Madureira antes de encerrar a sua carreira no Vasco em 1963.

Porém, o maior sucesso de Telê Santana foi mesmo como treinador em sua carreira. Começou como técnico do Fluminense em 1969, mas foi no Atlético-MG em 1970 que conseguiu o seu primeiro grande título, o do Campeonato Brasileiro de 1971.

Passou ainda por São Paulo, Atlético-MG, Botafogo, Grêmio e Palmeiras antes de assumir pela primeira vez a Seleção Brasileira em 1980, sendo o responsável por treinar um dos maiores times da história do Brasil em 1982.

Após o insucesso na Copa do Mundo realizado na Espanha, deixou a seleção e foi treinar o Al-Ahli da Arábia Saudita, mas voltou para a Seleção novamente em 1985 para atender ao clamor popular.

Foi o primeiro e único técnico da história da Seleção Brasileira a treinar o time em duas Copas do Mundo consecutivas sem ter conquistado o título da primeira vez. O novo insucesso na Copa do Mundo colocou um carimbo de pé frio em Telê Santana, que deixou novamente a Seleção e reassumiu o comando do Atlético-MG em 1986.

Já como um dos maiores técnicos da história do futebol brasileiro Telê Santana desembarcou na Gávea para treinar o Flamengo em outubro de 1988, reencontrando-se com um dos seus principais nomes nas Copas do Mundo em que dirigiu o Brasil: Zico.

Mas desta vez Zico já estava no final de carreira, ao contrário das vezes com a camisa canarinho. Encontrou também um jogador com quem havia tido problemas na preparação para a Copa do Mundo de 1896, cortando o jogador por conta de suas constantes fugas da concentração.

Esta passagem de Telê como treinador do Flamengo durou apenas um ano, e terminou novamente com uma discussão com Renato Gaúcho. Desta vez o jogador levou a melhor na queda de braço, mas não sem antes conquistar o título da Taça Guanabara de 1989.

Telê Santana deixou o Flamengo em 19 de novembro de 1989.

post

Flamengo – História #5: Dos anos de1984 a 1994

No ano de 1986, Zico voltou ao Flamengo e conquistou mais um título, sendo o seu último Campeonato Carioca. Foi um ano em que participou de menos partidas por conta de uma do período de recuperação e da cirurgia que realizou, após sofrer em 1985 uma entrada violenta do jogador Márcio  Nunes.

Zico foi um dos grandes responsáveis pela conquista da Copa União em 1987, que teve a sua primeira edição, e que foi considerada na época pela imprensa e também pelo Clube dos 12 como o título do tetracampeonato nacional do Flamengo. Porém, em 2014 o STJ (Superior Tribunal de Justiça) confirmou a equipe do Sport sendo a única equipe campeã do campeonato Brasileiro do ano de 1987, após o Flamengo contestar pela decisão na instância inferior.

Zico em toda a sua trajetória pelo Flamengo, marcou 568 gols, tornando-se o maior artilheiro da história do clube. A sua última partida e despedida  foi em 1990, diante de um grande público no estádio do Maracanã.

A equipe mesmo após a saída de seu grande jogador e craque, teve anos muito bons e positivos. Em 1990, a primeira conquista nacional foi através do título da segunda edição da Copa do Brasil, contra o Goiás. Entre os anos de 1990 e 1991, o Flamengo agora era comandado por Júnior, que conseguiu alcançar o título Estadual de 1991, após cinco vitórias seguidas.

Em 1992, o Flamengo alcançou mais um título do Campeonato Brasileiro, ao superar a equipe do Botafogo, onde o primeiro jogo teve o placar de 3 a 0 para o Fla, e o segundos seguido empatado por 2 a 2. O técnico Júnior foi novamente destaque da equipe.

post

Curiosidades sobre o Flamengo #2 – Taça Salutaris

Vamos falar um pouco sobre curiosidades sobre o nosso Flamengo e que por algumas vezes passam despercebidas ou simplesmente não são muito divulgadas.

1 – Taça Salutaris  

No ano de 1927, o Jornal do Brasil resolveu lançar um concurso para decidir qual seria o “clube mais querido do Brasil”, onde o vencedor ganharia a Taça Salutaris. O troféu com medida de cerca de um metro e meio e banhado em prata, foi oferecido pela empresa com o mesmo nome, uma engarrafadora de água mineral.

O concurso concedia em fazer o torcedor levar o rótulo do produto preenchido com o nome do seu time até à sede do Jornal do Brasil. Ganhava o concurso quem tivesse mais votos, nesse caso Flamengo ou Vasco. Haviam simpatizantes que se mobilizavam pelos dois clubes. Por conta dos portugueses serem comerciantes e logo, possuir um poder aquisitivo maior, enchiam sacolas e mais sacolas com os rótulos do Vasco.

Mas os torcedores rubro-negros não quiseram deixar barato e conseguiram reverter a situação em meio aos portugueses. No dia em que houve a apuração, os torcedores disfarçados com escudinhos do Vasco e com um sotaque português, acabaram por receber os cupons do Vasco e jogaram tudo fora. Parte deles nas latrinas do prédio do jornal e logo em seguida no poço do elevador.

O resultado é divulgado e a Taça Salutaris vai para o Flamengo onde os vascaínos não se aguentaram e protestaram, fazendo questão de divulgar o fato ocorrido como forma de diminuir a reputação dos flamenguistas. Mas a tentativa não deu certo. O cartaz do Mengo só fez aumentar. Por conta da imaginação misturada com inteligência, criatividade e audácia dos torcedores foi possível superar a questão econômica e também as armações vascaínas.

post

Flamengo – Títulos #3 – Copa do Brasil 2013

O título conquistado da Copa do Brasil no ano de 2013 teve um gostinho especial pois foi o reencontro da torcida do Mengo ao Maracanã, que esteve alguns anos fechado para a reforma e preparação da Copa do Mundo de 2014. O Maraca foi reaberto e viu o Flamengo ser o primeiro campeão em sua nova fase.

Durante o campeonato, a torcida marcou com grandes atuações durante a campanha. Foi a partir das fase das oitavas de final que a ligação entre o campo e a torcida na arquibancada ficou cada vez mais forte, onde a vibração da torcida fez com que o Mengo superasse grandes adversários que faziam grandes campanhas durante o Campeonato Brasileiro. Equipes como Cruzeiro, Botafogo e Goiás foram batidas antes do confronto final contra a equipe do Altético-PR.

Pelo primeiro jogo em Curitiba, o placar ficou e 1 a 1 com gol marcado pelo volante Amaral. O jogo de volta veio com a vitória por 2 a 0, com gols Elias e Hernane, o que garantiu a conquista do campeonato. O jogador Hernane, o Brocador, foi considerado o artilheiro da competição e também da campanha, com 8 gols marcados. O jogo da grande conquista foi dirigido pelo técnico Jayme de Almeida e contou com os seguintes jogadores: Felipe, Léo Moura (Marcos Gonzalez), Samir, Wallace e André Santos. Amaral, Elias (João Paulo), Luiz Antônio e Carlos Eduardo; Paulinho e Hernane.

 

post

Curiosidades sobre o Flamengo #1

Vamos falar um pouco sobre curiosidades sobre o nosso Flamengo e que por algumas vezes passam despercebidas ou simplesmente não são muito divulgadas.

1 – Cores oficiais

A primeira delas é com relação as primeiras cores que o Mengo utilizou. As primeiras foram o azul, simbolizando a Baía de Guanabara e a cor ouro, representando as riquezas brasileiras. As cores foram trocadas para vermelho e preto no ano de 1896 e eram as mesmas cores da bandeira do Jockey Clube Brasileiro, de acordo com o depoimento de um dos fundadores do Flamengo, Augusto Lopes da Silveira para a publicação do Álbum Rubro Negro, da edição nº 01 do ano de 1952, página 94. A alteração das cores foi devido ao azul e ouro desbotarem com mais facilidade em meio do sal das águas da Baía de Guanabara e também por causa do sol. Além disso outro ponto para a alteração foi devido a dificuldade da importação do tecido, uma vez que vinha da França e da Inglaterra.

Outra curiosidade é referente a primeira bandeira nas cores oficiais vermelho e preto. Ela foi confeccionada pelas mãos da querida esposa de Augusto Lopes Silveira.

2 – Taça Guanabara

O nosso Mengão é o maior vencedor de todos quando se fala na Taça Guanabara. Ao todo nós conquistamos 20 títulos contra 12 do Vasco da Gama, que é o segundo colocado no ranking de maiores vencedores da Taça. O nosso primeiro título veio no ano de 1970, e a competição existe desde 1965.

post

Flamengo – Ídolos da história: Zico

Arthur Antunes Coimba, mais conhecido por todos como Zico, nasceu no Rio de Janeiro em 3 de março de 1953, atuou na posição de meia e atualmente é treinador de uma equipe da Índia.

Zico, teve uma grande trajetória no período que passou no Flamengo nas décadas de 1970 e 1980. Conquistou vários títulos, dentre eles a Taça Libertadores da América, Copa Intercontinental, Campeonato Brasileiros de 1980, 1982 e 1983, Campeonato Carioca, Taça Guanabara Taça Rio de Janeiro, Troféu Ramón Carranza e Copa União.

Além disso, o jogador teve presença também na Seleção Brasileira durante as Copas do Mundo da Argentina em 1978, Espanha em 1982 e México em 1986.

O jogador carrega o título de maior artilheiro da história do Maracanã com 333 gols em 435 partidas que participou. Só no Campeonato Brasileiro foram 135 gols.

Zico foi eleito o maior futebolista brasileiro do século XX entre tantos outros títulos de níveis mundiais.

A sua chegada no Flamengo foi no ano de 1967 e sua estreia na equipe principal foi no ano de 1971 em uma partida contra o Vasco, onde o Mengo ganhou por 2 a 1. Mas Zico só se tornou jogador jogador titular da equpe no ano de 1974 após passar por uma intensa preparação física.

A grande “Era Zico” iniciou em 1978 onde conquistou o tricampeonato carioca, o terceiro do clube sendo realizadas no ano de 1979, onde nesse mesmo ano foi conquistado o torneio amistoso Ramón de Carranza.

Zico em toda a sua carreira marcou 826 gols sendo 516 em partidas oficiais e 310 em torneios não oficiais como Juvenil e amistosos.

O jogador tem descendência portuguesa, é casado e pai de três filhos.